O melhor de 2014: baixe três livros de teoria crítica gratuitamente

Três livros que foram importantes na teoria crítica em 2014. Veja e baixe-os.

Resenhas originalmente publicadas no site Critical Theory

O renomado texto curto de Louis Althusser “Os aparelhos ideológicos de Estado” transformou radicalmente o conceito de sujeito, a compreensão do Estado e até mesmo as próprias estruturas da teoria cultural, política e literária. O texto tem influenciado pensadores como Judith Butler, Ernesto Laclau e Slavoj Žižek. Esta parte é, de fato, um extrato de um livro muito mais extenso, na reprodução do capitalismo, On the reproduction of Capitalism, até agora disponível em Inglês. Sua publicação torna possível uma reavaliação dos textos seminais althusserianos já disponíveis em Inglês, seu lugar na obra de Althusser e a relevância de suas ideias para a teoria contemporânea.

Veja também: O que é alienação para Marx?

On the reproduction of Capitalism desenvolve concepção do materialismo histórico de Althusser, definindo as condições de reprodução da sociedade capitalista e da luta revolucionária para a sua derrubada.

“On the reproduction of Capitalism”, de Louis Althusser

Baixe o livro aqui.

Três anos antes de sua morte, Michel Foucault ministrou uma série de palestras na Universidade Católica de Louvain, que até há pouco tempo permaneceram quase desconhecidas. Estas palestras -que incidem sobre o papel da confissão, ou confissão, na determinação da verdade e da justiça- fornecem o elo perdido entre os primeiros trabalhos de Foucault sobre a loucura, a delinquência, e da sexualidade e suas explorações posteriores da subjetividade na antiguidade grega e romana.

Variando amplamente desde Homero até o século XX, Foucault traça o uso precoce de “dizer a verdade” na Grécia antiga e examina-o até práticas de auto-exame em tempos monásticos. Até o século XIX, a confissão de delito já não era suficiente para satisfazer o pedido de justiça; resta a questão de quem era o “criminoso” e quais os fatores de formação que contribuíram para seus “feitos errados”.  A chamada para a perícia psiquiátrica marcou o nascimento da disciplina de psiquiatria nos séculos XIX e XX, bem como o seu reconhecimento generalizado como a fundação da criminologia e da justiça criminal moderna.

“Wrong-Doing, Truth-Telling”, de Foucault

Baixe o livro aqui.

Em Out of Time, a pensadora Lynne Segal examina a sua vida e examina o trabalho e a vida de outros escritores e artistas para explorar os prazeres e perigos de envelhecer. Seguindo os passos de Simone de Beauvoir -que em seus meados dos anos cinquenta anos lamentou “nunca mais!” e, ainda assim, continuou energicamente escrevendo em seus anos sessenta e setenta – Segal mistura memórias, literatura e polêmica para examinar as conseqüências inevitáveis de manter-se vivo.

Quem é esse estranho que olha de trás do espelho? O que acontece com ambição e sexualidade? Conforme milhões de “baby boomers” [1] aproximam-se de sua sexta ou sétima década, estas questões estão se tornando cada vez mais urgentes. Deve o velho estar sempre em conflito com o jovem? Como podemos lidar com a inevitabilidade da perda e encontrar a vitória na sobrevivência?

[1] uma pessoa nascida nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial, quando houve um aumento temporário da taxa de natalidade.

“Out of time”, de Lynne Segal

Baixe o livro aqui.