Una vida llena: morre Eduardo Galeano aos 74 anos

Ainda na adolescência, Eduardo Galeano vendia charges políticas para o partido Socialista, atuou em publicações de esquerda como Jornalista e durante toda sua experiência se dedicou a escrita, compondo mais de 40 obras, traduzidas em diversas línguas.

“Na luta do Bem contra o Mal, sempre é o povo que contribui com os mortos”. A fala de abertura de Eduardo Galeano no livro intitulado a Luta do Bem contra o Mal vem a calhar. Infelizmente, hoje ele se foi e se foi pelo o que o próprio autor denominava de mal do século, o câncer.

Setembro dos anos 1940 em Montevidéu, a capital do Uruguai foi palco do nascimento deste grande homem conhecido por sua intelectualidade e sensibilidade de avaliar a vida e suas peculiaridades. Ainda na adolescência vendia charges políticas para o partido Socialista, atuou em publicações de esquerda como jornalista e durante toda sua experiência se dedicou a escrita, compondo mais de 40 obras, traduzidas em diversas línguas. Galeano obteve reconhecimento pelos prêmios internacionais e nacionais e pela delicadeza de enxergar a vida com poesia.

Sem falsa modéstia, Galeano fora um dos principais literários da América Latina. Aqui no Brasil ele esteve inúmeras vezes a participar de encontros de literatura. Disse ele uma vez que “A memória guardará o que valer a pena. A memória sabe de mim mais que eu; e ela não perde o que merece ser salvo”.

Quem já teve a ventura de descobrir suas ponderações sabe o quanto ele é instigante e audaz ao mascarar as mazelas dos governos e de gente hipócritas. Internado há exatamente uma semana por câncer nos pulmões, não resistiu. !Gracias a ti Galeno! Muchas gracias por proporcionar una vida llena de sentimentos!

!La lucha sigue!

Livros publicados:

  • Los días siguientes(1963)
  • China(1964)
  • Guatemala(1967)
  • Reportagens(1967)
  • Los fantasmas del día del léon y otros relatos(1967)
  • Su majestad el fútbol(1968)
  • As veias abertas da América Latina(1971)
  • Siete imágenes de Bolivia(1971)
  • Violencía y enajenación(1971)
  • Crónicas latinoamericanas(1972)
  • Vagamundo(1973)(P)
  • La cancion de nosotros(1975)
  • Conversaciones con Raimón(1977)
  • Días y noches de amor y de guerra(1978)
  • La piedra arde(1980)
  • Voces de nuestro tiempo(1981)
  • Memória do fogo– trilogia – (1982-1986)
  • A Pedra Arde(1983)
  • Aventuras de los jóvenes dioses(1984)
  • Ventana sobre Sandino(1985)
  • Contraseña(1985)
  • El descubrimiento de América que todavía no fue y otros escritos(1986)
  • El tigre azul y otros artículos(1988)
  • Entrevistas y artículos (1962-1987)(1988)
  • O Livro dos Abraços(1989)
  • Nós Dizemos Não(1989)
  • América Latina para entenderte mejor(1990)
  • Palabras: antología personal(1990)
  • An Uncertain Gracecom Fred Ritchin, fotos de Sebastião Salgado (1990)
  • Ser como ellos y otros artículos(1992)
  • Amares(1993)
  • Las palabas andantes(1993)
  • úselo y tírelo(1994)
  • O futebol ao sol e à sombra(1995)
  • Ser como eles(1997)
  • Mulheres(1997)
  • Patas arriba: la escuela del mundo al revés(1998)
  • Bocas del Tiempo(2004)
  • O Teatro do Bem e do Mal(2002)
  • Espelhos – uma quase história universal(2008)
  • Uma história quase universal(2008)
  • Os Filhos dos Dias(2012)

Deixe uma resposta