A dor de existir

Qual seria o melhor caminho, morrer de tédio ou de stress?

Sentir um vazio de graça, sentir que o fundo do poço é onde está, sentir-se ninguém é o que a melancolia nos leva. Sócrates define a melancolia como a bílis negra. Quem teve a capacidade de vomitar a bílis que por sinal é verde, deve ajustar-se. Creio que o sábio filósofo não estava equivocado.

Os prazeres da carne são postos à mesa e apresentados tentadoramente aos melancólicos. Mas, encontrar-se depressivo, triste é estar de frente com o breu, o vazio infinito, a vontade de partir, de encontrar o fim.

O tédio, nada mais é do que sofrer sem sofrimento. É gratuito. O homem moderno sofre mais desse mal do que nunca. E a preguiça, na mesma mão é o único pecado que impede os outros seis. O ócio vem então para nos libertar, se ele é o começo de todos os vícios, então ao menos ele está próximo de todas as virtudes.

Qual seria o melhor caminho, morrer de tédio ou de stress? Nessa condição, escrever a punho, as cartas que hoje são quase esquecidas, são os espíritos verdadeiros. Escreva sem dó de machucar ou se irá vangloriar alguém. O que se sente e logo põe no papel é o sentimento que importa.

Ethos = transformar a própria vida em estado de arte que seria reconhecimento e tempo para si próprio. Nesse viés, as pessoas raramente iriam falecer de tédio ou de stress. O falecimento seria nada mais do que natural ― isso é claro se jogarmos ao período atual em que vivemos. Na pós-contemporaneidade, o ócio seria demasiado.

Essas e outras psicoses foram analisadas por Sigmund Freud e Jacques Lacan. O primeiro entendia a melancolia não somente como uma espécie de distúrbio ou de transtorno humor. Mas, no que tange à sexualidade, a perda da libido era um luto diferenciado. Já na análise Lacaniana, além da melancolia ser um sentimento penoso, também é luto oficial por ter recaídas periódicas. E, justamente por isso, as causas que a melancolia acarreta são maiores do que a do luto em si. Uma das características mais notáveis da melancolia é aquela que precisa sempre de explicação e essas indagações consequentemente transformam-se em mania. O ciclo vicioso encontra-se nesse limiar.

Afinal, cada sentimento tem sua peculiaridade. Basta você querer separar em que linha de frente tomará.

aaa

2 Comments

Deixe uma resposta