Charme da Solidão

Assumir que deixei a vaidade de lado não é fácil! Se todos vissem a importância dessa condição e deixar os seus "egos" de lado. Ah! E esse mundo que só prega o ter e despreza o ser.

A fascinante solidão, de acordo com pesquisadores e sonhos, nem sempre é fácil de viver como eles gostariam. De vez em quando, estes fazem muito bem e fazem com que você se sinta melhor. Em seguida, volta para o mundo ainda com mais sucesso. Não está excluído que eles retornam os tangos, mas quente e fatal é tua extravagância ao ler, já que você é um grande merecedor do tempo.

A razão pela qual estou aqui, não cabe a mim dizê-la. É o suficiente pagar… No entanto, é neste cubículo estreito e escuro que comecei a pensar sobre as coisas banais. Sim! Como algo tão simples pode mudar nossas vidas? Não sou um homem grande, tenho estatura mediana como a maioria, mas sinto em informar que na cadeia aprendi a ser grande, mesmo nessas condições.

Assumir que deixei a vaidade de lado não é fácil! Se todos vissem a importância dessa condição e deixassem os seus “egos” de lado. Ah! E esse mundo que só prega o ter e despreza o ser. Uma pena. Tive de aprender da pior forma e cá estou. Quando escuto o barulho dos carcereiros ao abrirem as portas com as chaves penduradas em seus quadris, a esperança chega timidamente. Ou então, quando a nuvem negra que perdura por semanas voa para longe e aos poucos aparecem os raios do sol…

Dizem que a sabedoria só é merecedora com o passar dos anos. Logo, os mais idosos seriam os mais sábios. Discordo desta condição. Hoje, bem sei que há sabedoria na mais tenra idade e digo mais, que a pureza se encontra no sorriso gratuito de uma criança. De uma coisa tenho certeza! Não sei por quanto tempo estarei aqui, pode ser que eu vá para outro canto ou até mesmo que passem meus últimos dias… A certeza que sei é que desprezo a cidade de onde vim, uma cidadela pequena e amarga cujas pessoas são desprezíveis e se vangloriam de falar da vida de outros seres. Lá, o medo perdura.

Disse o nobre Voltaire uma vez: “Devemos julgar o homem mais por suas perguntas que pelas respostas”. Demorou tanto tempo para entender. Por que encontrei a benção em estar aqui? Por que tive de me conhecer profundamente só aqui? Interessante como consigo perceber a natureza nas mudanças das estações. Algo que jamais pensaria se estivesse lá fora. Justo?

E sigo cantarolando:

Eu não vou acordar
Sem uma canção para cantar
Nada para alguns
Tudo para mim

aaa

One Comment

  1. Não sei explicar bem porque, mas adorei essa história. Tem o tamanho ideal para uma manhã de segunda feira e estimulante para quem nasceu numa cidade pequena e foi para o Rio de Janeiro aos 17 anos, que passou por muitos momentos de solidão e muitas aventuras para sobreviver num mundo muito bruto e estranho.

Deixe uma resposta