USP promove encontros para o estudo de Em Defesa da Sociedade, de Michel Foucault

Professor Marcos César Alvarez coordena os encontros na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Clique e veja como participar!

Por Vinicius Siqueira e Lucas Kuntz.

foucault

A sala de reuniões do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP) dá espaço para os encontros do seminário Michel Foucault e os Cursos no Collège de France, que na reunião da última quarta-feira (28) discutiu a aula de 18 de fevereiro do curso Em Defesa da Sociedade, de Michel Foucault. A programação data até o fim de Novembro.

Este não é o primeiro curso orientado pelo professor Marcos César Alvarez: “Nos últimos anos, discutimos na Sociologia da USP diversos dos cursos de Foucault, como Segurança, Território e População e Nascimento da Biopolítica. A ideia é seguir nos próximos anos discutindo outros cursos”.

A cidade universitária marca a visão de quem não é aluno regular da Universidade de São Paulo: apesar de seu projeto original ter sido apresentado na década de 1930, somente nos anos 60 o local, que era a Fazenda Butantã, foi reformado e se tornou o maior campus da USP, abrigando diversas faculdades e dezenas de cursos. O tamanho colossal do território da cidade universitária é proporcional à amplitude cultural que a Universidade produz e divulga, seja com dissertações, teses, grupos de estudos ou semanas de pesquisa. O seminário Michel Foucault e os Cursos no Collège de France se situam como parte da discussão intelectual promovida no espaço.

“Discutir outros cursos é, assim, uma maneira de continuar a tradição de grupos de leitura na FFLCH, manter esta atividade didática e abrir caminho para novas possibilidades de pesquisa”, diz Alvarez.

Polêmica e negativa na criação de cátedra

Foucault foi um autor importante do século XX, conhecido como parte da força renovadora no círculo epistemológico europeu. Foi orientando de Georges Canguilhem, famoso epistemológico francês do pós-guerra, e ficou famoso após o lançamento de História da Loucura na Idade Clássica. Em São Paulo, a Pontifícia Universidade Católica também mantém eventos relacionados ao autor, como o Grupo de Estudos Michel Foucault, coordenado pela professora Salma Tannus Muchail, e os planos para uma cátedra específica sobre o autor.

Em junho de 2015, o Conselho Superior da Fundação São Paulo, mantenedora da PUCSP, rejeitou a criação da cátedra Michel Foucault e a Filosofia do Presente, a partir de decisão da reitora da universidade, Ana Cintra e 8 bispos, entre eles o Dom Odilo Scherer. A negativa motivou reações do corpo discente por meio de encontros temáticos, intervenções artísticas e promoção de debates sobre a importância da criação de tal cátedra.

A importância da criação da cátedra está em sua relevância ainda atual: “Mesmo trinta anos após a sua morte, eu entendo que as problematizações que ele lançou, a maneira como ele questionava o estatuto universal do uno, continuam alimentando e inquietando novas gerações de pessoas que ainda veem em seu pensamento e nas suas reflexões históricas, filosóficas, literárias e epistemológicas, muita coisa para se pensar de outra forma a atualidade e, desta forma, agir de outra forma sobre a realidade. Neste sentido, sua máquina conceitual, sua ‘caixa de ferramentas’, ainda tem muita serventia para reflexão e ação contemporânea”, afirma Pedro Dotto, pesquisador do programa de pós-graduação em filosofia da PUCSP,

A justificativa de Dotto não foge ao que Alvarez também afirma a respeito da importância de Foucault na atualidade. “Michel Foucault produziu reflexões e pesquisas que tiveram grande impacto nas Ciências Sociais no século XX, ao discutir temas como a relação entre razão e loucura, entre doença e normalidade, as condições de emergência das Ciências Humanas, a dinâmica das tecnologias de poder e de subjetivação,  entre muitas outras questões. Daí sua atualidade para pensar, no Brasil, o funcionamento da justiça criminal, as práticas médicas, as questões de gênero e muitos outros problemas sociais”, diz o professor doutor da USP.

Serviço

O quê: Michel Foucault e os Cursos no Collège de France.

Onde: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciência Humanas da USP, prédio de Ciências Sociais e Filosofia na sala 2073 do Departamento de Sociologia.

Quando: Próximos encontros serão nos dias 05/10, 19/10, 16/11 e 30/11.

Abaixo, veja o panfleto oficial dos seminários com as aulas abordadas em cada encontro:

Seminário Michel Foucault
Datas e temas dos próximos encontros do Seminário Temático.

2 Comments

Deixe uma resposta