Velho Buk: Escritos Que Merecem Ser Lidos

Velho Buk, o Velho Bukowski merece ser sempre lido e relido. Com um documentário sobre si, aqui damos uma contribuição com alguns escritos essenciais deste grande escritor.

Colaboradora nova no blog: Eu sou a Angel, esse é o meu primeiro post aqui e vim rechear ainda mais o Colunas Tortas compartilhando com vocês tudo o que possa acrescentar em cinema, literatura, música,  a arte em qualquer forma em que ela se manifeste.

O Velho Buk, O Velho Safado

Pra começo de conversa, não venho falar de mim, e sim de uma criatura cujas obras são tão fantásticas que me vejo envergonhada em dizer que há menos de um ano ainda não havia lido nenhuma delas. Charles Bukowski, ou O Velho Safado (apelido que ganhou por seu nada normal estilo de vida) é um alemão, que mudou-se para os Estados Unidos ainda criança e lá virou esse monstro por seu jeito indiferente às normas literárias em vigor.O Velho Buk Bukowski

Bukowski escreveu uma série de livros, todos relativamente pequenos e sendo uma espécie de autobiografia onde relata os fatos sob o alter ego de Henrique Chinaski. Com uma dose de humor negro, sarcasmo e zero de pudor, ele narra episódios da sua vida conturbada que paira desde ao mar de fumaça em que vive, a indiferença que sente pelo pai, os porres, a vida sem sucesso de um adulto classe média refém do proletariado e a cabeça de um jovem que acaba de se perceber inserido ao mundo, até ideias de suicídio, assassinatos, princípio de loucura e coisas do tipo.

Ele rompe com todos os paradigmas de forma e beleza, seus livros são como casos narrados aleatoriamente sem nenhuma ordem ou linha de pensamento a ser seguida, são os fatos pelos fatos, é um parnasiano às avessas.

Além de ter uma narrativa extremamente atrativa e uma gama de palavrões, seus livros contam nua e cruamente como é a realidade de muitos que caminham com a manada todos os dias pra no fim, de alguma forma, poder comer. Ele critica e julga a todos com o seu gênio sarcástico, mas pros que se identificam de alguma forma é válido também avaliar seus escritos como uma fuga total da tristeza. Uma vida arrastada. Uma solidão disfarçada. É de uma melancolia tremenda. E você vai querer ler ainda mais.

“Por que há tão poucas pessoas interessantes? Em milhões, por que não há algumas? Devemos continuar a viver com esta espécie insípida e tediosa? O problema é que tenho de continuar a me relacionar com eles. Isto é, se eu quiser que as luzes continuem acesas, se eu quiser consertar este computador, se eu quiser dar descarga na privada, comprar um pneu novo, arrancar um dente ou abrir a minha barriga, tenho que continuar a me relacionar. Preciso dos desgraçados para as menores necessidades, mesmo que eles me causem horror. E horror é uma gentileza.” — Charles Bukowski.

Velho Buk Velho Safado

Pra quem vai começar a lidar com o gênio, dou a sugestão de iniciar por “Misto-Quente”. É onde ele destrincha grande parte de sua infância e adolescência, as primeiras experiências e as frustrações que nascem ali e as servem de acompanhante ao longo de sua vida, a percepção da irrelevância das pessoas e que viveria muito bem sem elas daí em diante.

Foge a todos os padrões de escritores americanos e mexe tanto com a cabeça do leitor a ponto de que se pergunte o que é mesmo real nesse caldeirão de acontecimentos. Não consegui ainda devorar tudo que escreveu, mas, do meu acervo, Misto-Quente é de longe o que mais me instigou a acompanhar a trajetória de Chinaski, e uma vez que se começa, é impossível parar.

Lê-se no verso de sua capa que “Quem não leu Misto-Quente, não leu Bukowski”. Leia e tire as conclusões por si mesmo.

Velho Bulk Misto Quente

Charles Bukowski em PDF

Você encontra algumas de suas obras em pdf/epub aqui.

Charles Bukowski, Um Filme

E ainda venho trazer uma referência cinematográfica. Quem já conhece ou se interessou pela vida desse homem, além de devorar seus livros, pode ainda assistir a um documentário da vida do velho Buk que narra seus empregos frustrantes, seus relacionamentos pra lá de foras do comum, abuso sexual e sua participação como ícone cult no movimento underground. O filme chama-se “Bukowski: Born to this” e você pode assisti-lo online aqui.

2 Comments

Deixe uma resposta