Comemore! A Dama Se Foi!

As massas comemoram a morte da líder das elites! Não há como lembrar de Thatcher com saudade. Veja algumas fotos das manifestações populares!

A morte de Thatcher nunca me pareceu que seria tão comemorada. Quando a gente vê fotos de jovens em êxtase e de pessoas soltando gargalhadas, não dá pra imaginar que essa velhinha simpática tenha sido tão demoníaca com um país.

Realmente, ela não foi. Ela foi demoníaca com a classe trabalhadora deste país. Sua implementação do neoliberalismo, sua fé cega em Hayek e sua inflexibilidade pessoal – juntamente com todas as consequências sujas de suas medidas – lhe deram o apelido carinhoso de Dama-De-Ferro. Uma dama que, com mãos de ferro, retirou os direitos dos trabalhadores de fazer greve como forma de protesto legítima, além de esmagar a greve de mineiros de 1984/85.

Sua política Neoliberal privatizou diversas empresas estatais de diversas esferas de uso público… Com isso, o número de desempregados subiu vertiginosamente, juntamente com o crescimento das desigualdades no país.

Amiga de Pinochet, ela ignorava completamente as críticas ao seu governo, estava pouco se ferrando para qualquer mudança necessária em sua forma de administração – não iria parar nunca, levaria até às últimas seu método evidentemente falho. Thatcher era a face de um elitismo porco e me deixa surpreso que um grupo que se diga feminista (embora metade do mundo discorde) seja complacente com sua imagem.

A morte da Dama é simbólica, é a morte de uma líder dos ricos, é a morte de uma senhora que se posicionava ao lado da elite, ao lado daqueles que menos precisavam de um Estado e que acabava com qualquer ação daqueles que, por sua vez, precisavam se organizar detalhadamente, como os sindicatos trabalhistas. Thatcher, foi tarde.

Deixe uma resposta