Festival de Woodstock (1969) – O festival da contracultura

O Festival de Woodstock (1969) aconteceu entre os dias 15 e 18 de agosto na cidade de Bethel, interior de Nova York, e foi o maior festival de música de todos os tempos. Teve como combustível muita música folk, muito rock psicodélico, drogas alucinógenas e nudez descompromissada.

O Festival de Woodstock (1969) aconteceu entre os dias 15 e 18 de agosto na cidade de Bethel, interior de Nova York, e foi o maior festival de música de todos os tempos. Teve como combustível muita música folk, muito rock psicodélico, drogas alucinógenas e nudez descompromissada. Tudo começou quando dois jovens queriam aplicar o capital que tinham para gerar ainda mais grana: John Roberts e Joel Rosenman. Roberts tinha uma pequena fortuna gerada pelos lucros da indústria farmacêutica e Rosenman estava preocupado em conseguir fazer este dinheiro se multiplicar. Nada muito diferente.

Foi quando colocaram em um jornal da cidade um anúncio tentador: “jovens com capital ilimitado procuram por oportunidades legítimas e interessantes de investimento para negócios”. Artie Kornfeld e Mike Lang os contataram e explicaram todo seu plano. De início, um estúdio seria montado, já o festival seria unicamente para arrecadar dinheiro para montar o estúdio sem sair no prejuízo. Um negócio pagaria o outro e nenhum dinheiro seria perdido ou demoraria para ser recuperado.

Veja Também: Street Art e pós-modernidade   Veja Também: Surrealismo: características da imaginação

festival de woodstock 1960 foto ampla
Fonte: Hypeness

Festival de Woodstock (1969) – O lugar

Primeiramente, o festival aconteceria em Woodstock, no interior de Nova York, mas os moradores locais conseguiram entrar na justiça para impedir que o evento acontecesse. Os ingressos estavam já vendidos (lojas especializadas vendiam ingressos para os três dias, dois, ou para algum dia em separado, além dos pedidos via correio que poderiam ser feitos) e muitas pessoas pediam o dinheiro de volta ao receberem a notícia de que não havia um lugar fixo para o festival acontecer.

Então, de última hora, uma fazenda de 600 acres foi oferecida na cidade de Bethel. Parece que – diferente de Woodstock – os moradores de Bethel não se importavam com milhares de hippies nus em sua cidade, e foi exatamente isso que ocorreu. A cidade parou e o festival que deveria contar com “somente” 50 mil pessoas, teve um público esperado de 200 mil almas, que se multiplicaram para 500 mil nos dias do evento. Muitos pularam as grades e invadiram o local, muito mais comida precisou ser conseguida no último instante, além de mais banheiros e mais espaço para o estacionamento de carros e barracas.

festival de woodstock 1969 o lugar
Fonte: Glamour Vintage

Festival de Woodstock (1969) – As pessoas

O público do Woodstock era formado pelos jovens da contracultura americana. Diferente da contracultura na Europa, que foi fascinada pelos movimentos de autogestão, pela incitação de incendiários como Guy Debord e por grupos maoístas, nos Estados Unidos o clima era de não-violência. Paz e amor. Vida hippie. O nu era algo normal e o consumo de drogas lisérgicas não precisa nem mesmo ser lembrado.

A contracultura batia de frente com a indústria cultural. Se hoje um Jimi Hendrix estampa qualquer camiseta, nos anos 60 ele era quase como o anticristo empunhando uma guitarra. Paz, amor, e viagens lisérgicas são o oposto dos valores burgueses normais de “família”, “trabalho”, “disciplina” e etc e etc.

Como choveu muito e o lugar era uma fazenda, os pedaços sem grama formaram um enorme lamaçal, onde algumas pessoas se divertiam pulando e se “banhando” na lama. O palco foi instalado no alto de um cume, mas estavam tão abarrotado de público que foi necessário construir uma passarela só para músicos, em direção ao palco. O público também parou todas as vias da cidade, era comum ver gente saindo dos carros no meio do trânsito parado para andar 20km até a fazenda.

festival de woodstock 1969 pessoas tomando banho
Fonte: Hypeness

Festival de Woodstock (1969) – A música

O festival tinha como data de início o dia 15 de agosto e acabaria no dia 18, um domingo. Na verdade, o último show, de Jimi Hendrix, aconteceu já na segunda às 9 horas da manhã, com um público reduzido de 25 mil pessoas. Janis Joplin, Grateful Dead, The Who, Johnny Winter e seu irmão Edgar Winter, além de Jefferson Airplane, Ravi Shankar, Joe Cocker e Creedence Clearwater Revival tocaram durantes os dias do festival. Diversos outros artistas também fizeram sua aparição e o festival contou as melhores bandas da época, apesar de ter alguns convites recusados.

Segundo o site do evento, The Doors teria recusado por achar que o festival seria imitação do Festival de Monterey; os Beatles já estavam perto de se separar e não faziam show há 3 anos, também acabaram por não participar; o Led Zeppelin decidiu “não ser somente mais uma banda” e fez um turnê solo no ano do festival, recusando tocar entre outras bandas da época; e Bob Dylan recusou o convite depois que seu filho ficou doente e por não gostar de ver um monte de hippies acampando perto de sua casa.

festival de woodstock 1969 janis
Janis Joplin. Fonte: Mundo Max

Festival de Woodstock (1969) – O Impacto

No fim dos três dias de evento, os organizadores (que não tinham mais de 27 anos) estavam com uma dívida de 1 milhão de dólares, que foi reduzia em 90% após a venda do filme do festival. Mesmo assim, o sucesso cultural foi um fracasso empresarial, mas não deixou de mostrar o lado alternativo da cultura dos jovens americanos, deixando explícito que havia algo diferente do padronizado american way of life.

Não cabe a nós dizer qual a eficiência deste tipo de expressão artística para uma luta direta com este jeito americano consumista de viver, que mais tarde engoliu toda a geração da contracultura. É necessário entender que ela foi uma barreira contra a hierarquia de valores que se estabeleciam. Ela simbolizou a despreocupação num mundo de pessoas ultrapreocupadas, num momento de guerra-fria, em que as tensões se acumulavam para ambos os lados dos grandes blocos econômicos capitalista e comunista.

Jimi Hendrix. Fonte: Woodstock Story
festival de woodstock 1969 pessoas
Fonte: Hypeness
festival de woodstock 1969 fotos alternativas
Fonte: Hypeness
festival de woodstock 1969 lixo
Fonte: Hypeness
festival de woodstock 1969 pessoas unidas
Fonte: Hypeness
festival de woodstock 1969 amor e paz
Fonte: Hypeness
festival de woodstock 1969 para todos
Fonte: Hypeness
festival de woodstock 1969 drogas
Fonte: Hypeness
festival woodstock 1969 donos fazenda
Donos da fazenda cedida para o festival. Fonte: Hypeness

Deixe uma resposta