Pierre Bourdieu em A Sociologia É Um Esporte De Combate (2001)

“Eu digo frequentemente que a sociologia é um esporte de combate, um meio de defesa pessoal. Basicamente, você pode usá-la para se defender, sem ter o direito de utilizá-la para ataques covardes.”

– Pierre Bourdieu.

Pierre Bourdieu foi acompanhado de 1998 até 2001 pela equipe do documentário. Foto: France Culture.

Pierre Bourdieu foi um sociólogo de grande produção acadêmica desde os anos 60, alcançando fama mundial nos anos 90 como um dos maiores acadêmicos vivos associado ao movimento antiglobalização. O documentário dirigido por Pierre Carles, A Sociologia É Um Esporte de Combate, acompanha o dia a dia do autor entre 1998 e 2001, um ano antes de sua morte, e introduz partes de seu pensamento e de seu compromisso com a sociologia. As informações são do Icarus Films.

Sua sociologia é inovadora e heterodoxa, misturando características dos trabalhos de Karl Marx (como seu objetivismo), Max Weber (e seu subjetivismo) e Émile Durkheim (e seu esforço para fazer da sociologia uma ciência). Essa união forneceu ferramentas ao autor para que elucidasse os processos de violência simbólica e dominação cultural em diversas áreas da vida em sociedade. Seu livro mais conhecido, A Distinção (1979), traça um paralelo entre a dominação de classes e a variação no acúmulo de capital econômico, cultural e simbólico.

Segundo Bourdieu, é tarefa dos pensadores de uma época trazer seus conhecimentos específicos para discutir os problemas sociais e políticos que nela se desenvolvem, como em Os Usos da Ciência (1997). Além disso, parte de sua carreira foi dedicada a criticar o neoliberalismo que emergia após a falência do Estado de Bem-Estar Social, um de seus livros sobre o assunto é A Miséria do Mundo (1993).

Em A Sociologia é um Esporte de Combate, documentário de 2001, dirigido por Pierre Carles, Bourdieu é acompanhado durante três anos em palestras, viagens, encontros com estudantes ou com seus colaboradores de pesquisa, atos políticos e, inclusive, em uma conversa com o romancista alemão Günter Grass.

O filme mostra o engajamento e compromisso político de Pierre Bourdieu, e o coloca ao lado de grandes nomes da vida intelectual francesa como Émile Zola e Jean-Paul Sartre, que também se depararam com lutas políticas, o último, contemporâneo de Bourdieu. Para o sociólogo, uma pessoa que teve a sorte de dedicar a própria vida ao estudo da sociedade não pode se manter longe das lutas por justiça social.

O documentário se tornou grande sucesso na França logo antes de sua morte, em 2002, e você pode vê-lo na íntegra abaixo.

 

5 Comments

  1. Olá Vinicius, primeiramente, parabéns pelo seu projeto Colunas Tortas, é muito bom e consistente!

    Segundo, você teria alguma sugestão de ordem de leitura das obras do Bourdieu para iniciar estudos na sociologia dele?

    Muito obrigado!

Deixe uma resposta