Quem critica o pós-modernismo e por quais motivos fala groselha

Qual a utilidade da crítica ao “pós-modernismo”?

A pergunta acima só pode ter uma resposta clara quando se define exatamente onde está esse pós-modernismo a ser criticado. Por que estou falando disso? Acho que preciso me explicar antes de começar esse artigo: Diego Grossi, no dia 20 deste mês, publicou um texto no site do Partido Comunista Brasileiro (PCB) intitulado “Quem são os pós-modernos e por quais motivos lutam contra eles os marxistas”, você pode ler o artigo aqui, inclusive.

Este artigo parece ter a pretensão de denunciar os “pós-modernistas”, que são anticomunistas disfarçados de progressistas. Diego Grossi enumera dez considerações críticas sobre este grupo, mas nenhuma dessas críticas parecem fazer sentido e eu vou explicar o porquê.

Livro da Semana: Os condenados da Terra – Frantz Fanon

Nascido em 1925, na França (tendo ascendência africana), Frantz Fanon foi um filósofo e ensaísta marxista (bem como psiquiatra), tendo focado seus trabalhos principalmente nos movimentos de libertação anti-coloniais, sendo um dos fundadores do pensamento terceiro-mundista, termo usado para definir o estudo dos países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos, ou ainda os que estiveram neutros na…

O que pode um corpo? Deleuze e Espinosa com entrada franca em SP

Gilles Deleuze, criativo filósofo francês do século XXI, tem uma leitura própria do conceito de corpo na filosofia de Bento de Espinosa, já que o considera uma força de composição que se funda na relação constante com outros corpos, afirma Fernando Bonadia, convidado do Colunas Tortas para explicar como ambos os autores se relacionam neste…

A loucura, estrutura global – Doença Mental e Psicologia

“O mundo contemporâneo torna possível a esquizofrenia, não porque seus acontecimentos o tornam inumano e abstrato, mas porque nossa cultura faz do mundo uma leitura tal que o próprio homem não pode mais reconhecer-se aí. Somente o conflito real das condições de existência pode servir de modelo estrutural aos paradoxos do mundo esquizofrênico”.

Psicologia do Sacerdote e seu modo de operar – O Anticristo

Da série “O Anticristo“. Pequeno comentário prévio e crítico Nestes capítulos, o autor irá analisa a psicologia do sacerdote, visando entender como funcionam alguns de seus mecanismos de dominação sobre os cristãos. Fica extremamente evidente a influência sobre os pensamentos de Foucault e Gilles Deleuze; boa parte da exposição didática deste artigo não teria sido…