Sheherazade e Silvio Santos: qual a função da polêmica?

De que é feito o embate social?

Silvio Santos e Sheherazade foram personagens de um caso polêmico nas redes sociais.

Eu não sei muito bem como vou escrever este texto, mas preciso dizer que a polêmica tem valor ideológico.

Isso é evidente. A polêmica, em geral, tem valor ideológico, serve como um guia, uma coleira que puxa o focinho do sujeito para o lado que deve ser cheirado. Ela não manipula, como se o sujeito fosse um boneco burro e cego para seus desígnios, a polêmica é parte integrante da constituição do sujeito, pois é ela que indica em qual lugar a atenção deve ser concentrada. Ela não influencia, ela indica o local em que isso deve e vai acontecer.

Porque estou dizendo isso?

Formação discursiva e interdiscurso – Michel Pêcheux

Da série “Michel Pêcheux: Conceitos Fundamentais”. As abordagens não-subjetivas do discurso, como de Foucault e Pêcheux, necessitam de uma explicação que dê luz à produção dos enunciados, já que nem eles, nem o sentido que assumem na prática social, são definidos pelo sujeito. O conceito de discurso, assim, depende de um conceito descritivo anterior: o…

5 obras de Zygmunt Bauman para você entender o essencial

Zygmunt Bauman foi um sociólogo polonês famoso por interpretar a contemporaneidade a partir de sua ótica da modernidade líquida. Segundo as obras de Zygmunt Bauman, no estágio atual do capitalismo, não há referências seguras para o desenvolvimento da vida: a estrutura econômica é instável, os medos se proliferam e o espaço público deixa de ser…

O sujeito – Michel Pêcheux

Uma das inovações da análise do discurso de linha francesa (AD) foi inserir uma teoria não-subjetiva do sujeito dentro deste recente campo, lidando com problemas da comunicação sem passar pelas teorias informacionais ou liberais clássicas. O esforço de Michel Pêcheux em construir uma teoria que eliminasse a função do sujeito produto de sentido, porém mantivesse uma…

João Guimarães Rosa: a busca do indivíduo na linguagem, a dúvida e a metáfora do social

Queria entender do medo e da coragem, e da gã que empurra a gente para fazer tantos atos, dar corpo ao suceder. O que induz a gente para más ações estranhas, é que a gente está pertinho do que é nosso, por direito, e não sabe, não sabe, não sabe![1] Um caminho sem fim. Mesmo…

Condições de produção do discurso – Michel Pêcheux

Da série “Michel Pêcheux: conceitos fundamentais”. Na análise do discurso francesa (AD), que tem como principal teórico e entusiasta o filósofo Michel Pêcheux, o conceito de condição de produção tem um lugar privilegiado, na medida em que não é mais possível atribuir ao sujeito a produção de suas falas (portanto, não é mais possível afirmar…

Encontro filosófico aborda Vigiar e Punir de Michel Foucault (SP)

Após 2 encontros filosóficos com muita gente, diversas questões e discussões cheias de entusiasmo, o Colunas Tortas anuncia o 3º Encontro Filosófico do Colunas Tortas com o tema Vigiar e Punir: Disciplina e Controle Social, com apresentação inicial feita pelo professor Marcos Cesar Alvarez* da Universidade de São Paulo. Há poucas semanas, o Brasil se…

Discurso de Luiz Ruffato na Feira do livro de Frankfurt continua atual

Historicamente habituados a termos apenas deveres, nunca direitos, sucumbimos numa estranha sensação de não pertencimento: no Brasil, o que é de todos não é de ninguém… Em 2013, Franfurt recebeu em sua tradicional Feira do Livro a presença de Luiz Ruffato, escritor brasileiro que discursou na abertura do evento com tom crítico às desigualdades sociais…

Um estudo semiótico dos livros de autoajuda – Modernidade Líquida e Autoajuda

Da série “Modernidade Líquida e Autoajuda”. Os livros de autoajuda de desenvolvimento profissional fazem parte do armamento linguístico para convencer o leitor de que a motivação é a chave para o sucesso e que um profissional motivado é sempre destacado na corporação. Este é o argumento de  Discurso e Motivação: Um Estudo Semiótico dos Livros de…